Os filhos de Dona Eulália

278a99ac7ece24bfcc4e00b469270a79

 

Com primeiras bonecas as mães introduzem o conceito de cuidado e brincando conosco nos dizem que cuidar é importante. . Dá-lhe brincar de vestir, alimentar, banhar, dar remedinhos par as nossas pequeninhas. Sem perceber, repetimos com as bonequinhas o cuidado que as mães têm conosco. Aprendemos, fixamos, repetimos. As meninas que têm irmãos menores  fazem estágio prático nisso. Um dia na vida, seja para cuidar dos filhos ou os pais, as mulheres abrem a caixinha de recordações afetivas dos inúmeros referenciais maternos e resgatam a arte do cuidado. Brincando de boneca, geração após geração recebe o treinamento para cuidar dos idosos e dos doentes. Os meninos ganham carrinhos, espadas, revólveres, bolas e saem para correr mundo. Não é de estranhar que eles fujam apavorados quando suas mulheres ou mães adoecem. Não há registro, referencial, nenhum lugar de onde partir para começar, ainda que o homem esteja cheio de boa vontade e disposto a ignorar o ideário machista. Deve ser por isso que em sempre fico comovida quando vejo um filho cuidando da sua mãe como se tivesse sido treinado para isso desde a infância, quando vejo a tarefa ser enfrentada com a coragem que não foi ensinada por ninguém. Ou bem o homem decide que tem e encontra força em si mesmo, ou foge apavorado. Homens assim têm uma dignidade impressionante. Dona Eulália está internada conosco desde ontem, não deve ter alta dessa internação. Já muito confusa, não entende muito bem o que acontece ao redor dela. Não conheço a história da família, não sei como as coisas eram antes, mas Dona Eulália tem sorte. 80 anos, um dos filhos sempre perto cuidando dela, lúcidos o suficiente para tomar decisões que não aumentem o sofrimento dela com medidas terapêuticas inúteis. Saí da enfermaria comovida. Dona Eulália tem três filhos homens. E tem sorte de tê-los.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *