Fritura com gosto de casa

cuecavirada

– Doutora, mande colocar em mim aquela sonda grossa que entra pelo nariz e vai até o estômago. Da outra vez, resolveu na hora. Fiquei tão bem que até tentei fugir do hospital.

O homem emagrecido que me dizia isso não parava de vomitar, estendido em uma maca na emergência. Era portador do vírus do HIV e de um câncer de intestino avançado para o qual as medidas terapêuticas já haviam se esgotado.  O tumor estava impedindo a passagem do alimento pelo intestino delgado, por isso ele vomitava. Simpatizei com ele de cara. Tinha um nome bíblico daqueles que tornaria sua identificação muito fácil, por isso vou chamá-lo de José.

Na manhã dia seguinte a sonda drenava o conteúdo estomacal esverdeado em grande quantidade em um frasco no chão. Seu José, enjoado e debilitado, tinha aprontado na enfermaria. Reclamou do banho e do atendimento.

– Eu continuo enjoado. A senhora pretende fazer o que agora?

– Vou ajustar as medicações e pedir mais alguns exames. Também vou aumentar o volume do seu soro pra que o senhor não tenha sede. Quero que fique em jejum completo, não beba nem água. No máximo molhe os lábios com uma gaze, se a boca ficar muito seca.

Fazia um calor dos diabos naqueles dias.

No outro dia havia um novo relato de insubordinação com a enfermagem e uma esposa aflita que me aguardava para uma conversa em separado.

– O José melhorou, mas ele não lhe obedeceu. A senhora acredita que ele passou o dia bebendo água? Chegava a tomar meio copo de uma vez!

Eu disse imaginava que ele faria isso. Ela ficou surpresa.

– Dona Maria, Seu José é um homem teimoso que sabe que vai morrer. Passou a vida inteira se opondo as coisas que os outros diziam. Eu não tinha dúvidas que ele desobedeceria as minhas orientações. É da natureza dele.

– Mas a senhora não ficou brava?

Parte das decisões de final de vida é entender um pouco os valores dos pacientes. Um homem que faz questão de dizer para o médico responsável por ele que tentou fugir na internação anterior e cria problemas todos os dias, provavelmente é alguém que gosta de desobedecer regras.

– Conversei sobre os exames há pouco. A nova tomografia mostrou que as metástases aumentaram muito e por isso o fígado está funcionando mal. Apareceram metástases no pâncreas. Ele tem pouco tempo de vida. Eu não o impediria de fazer o que quer.

Ela fez cara de quem já tinha ideia da gravidade da situação.

– Mas a senhora não acha que ele deveria obedecer, já que está muito mal?

Fiz uma pausa. Às vezes é difícil explicar o que é autonomia.

– Eu imagino que um teimoso se sinta vivo toda a vez desobedece ordens. Deixe ele desobedecê-las, ao menos um pouco. O tempo dele muito curto.

Dois dias depois Seu José estava conseguindo comer as papinhas e as sopinhas do hospital, mas me recebeu de cara fechada.

– O atendimento da noite é muito ruim, Doutora.

Perguntei o que tinha havido.

– Uma técnica mexeu na minha sonda e eu vomitei a noite inteira.

– Tem certeza que foi problema na sonda? Um passarinho me contou que o senhor comeu cueca virada e café com leite lá pelas 22 horas.

Seu José fez cara de ofendido.

– Claro que foi a sonda, né Doutora. Eu sei o que me faz mal e o que não me faz.

Café com leite com cueca virada tem gosto de reunião em família. Sabor de casa e aconchego. Ele tinha clareza do diagnóstico e do seu pouco tempo de vida. Escolheu continuar vomitando e burlando a dieta. Eu não poderia impedi-lo.  As papinhas do hospital só tornariam a digestão mais fácil, mas não iriam fazê-lo viver mais. Seu José seria um transgressor até o final

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *